Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

agalma

talvez a emoção que menos estimule o poeta seja a alegria, tão breve e rara de sentir

talvez a emoção que menos estimule o poeta seja a alegria, tão breve e rara de sentir

O Que Está Por Vir, filme de Mia Hansen-Love

com Isabelle Huppert que não representa, ela é e vive o que vemos.

Gostei muitíssimo de ver este filme. Parece tudo tão simples.

O enredo é a vida a correr e a surpreender-nos, sempre sem guião como sabemos, mas com uma aceitação tão lisa que parece não haver qualquer dúvida de que o caminho tem de ser feito com elegância e que não tem alternativa.

Claro que ajuda muito não haver problemas de desemprego, de dinheiro ou de realização profissional. Passa-se num ambiente burguês dominado pelo estudo e ensinamentos filosóficos.

Era muito bom se a percentagem de quem vive assim fosse, se não absoluta pelo menos, muito mais elevada.

Era muito bom. Um luxo.

faz-nos falta

c.jpg

pintura a óleo, Rui Couto

 

 

candura, generosidade, humildade e alegria.

Hoje são as falhas que sinto serem mais agudas.

Estou farta de atitudes soberbas, vindas quase sempre de pessoas com poder ou com dinheiro.

Vindas de quem pode.

Mas já estou a ficar melhor. Enquanto escrevo lembrei-me do livro Mendigos e Altivos, de Albert Cossery.

Felizmente.

uma conversa séria

a.jpg

- estou a ver que não abrandam tão cedo. Correm o dia todo mas parece-me que não se sentem úteis ou compensados

- é isso que também me parece. Alegria nem vê-la. Quanto muito ficam eufóricos, de vez em quando, deve ser para descarregar

- mas que raça tão insatisfeita.

entrega

é sensato regressar ao espelho

para nos obrigar a ver e a avaliar

o bem ou os estragos

que os nossos passos e decisões

nos têm feito.

recuso

a.jpg 

tudo o que saia do sossego de viver em harmonia com a natureza e com a minha dignidade.

Estou a par da chamada atualidade e participo, quando é necessário, mas não aguento estas batalhas lentas para apreensão do básico.

A ganância, que acho responsável por todo o descalabro que vivemos, é uma corrida de marcha atrás na nossa civilização.

Não desisto, resisto, mas é muito triste.

a caminho de Porto Santo,

a.jpg

pintura a óleo, Rui Couto

 

 

porto seguro, ancoradouro dourado para quem chega por mar.

Assim vai a tripulação enredada em instrumentos, mapas e alentos,

calejada de tantas tempestades e com recursos aprendidos em turnos de puro marasmo.

Recorrem aos sonhos, sempre, essa bolha de energia que envolve tudo o que se avista,

aqui ocupando mais espaço que toda a embarcação,

na forma de uma mulher formosa, bonita e de porte majestoso.

Tudo é possível enquanto se sonhar assim.

Merecidamente.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D