Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

agalma

talvez a emoção que menos estimule o poeta seja a alegria, tão breve e rara de sentir

talvez a emoção que menos estimule o poeta seja a alegria, tão breve e rara de sentir

o amor é o fio de prumo

 

o amor é o fio de prumo.jpg

pintura a óleo, Rui Couto

 

 

e não pode, nunca, deixar de o ser. Devemos estar a viver um longo intervalo.

Ninguém pode ficar indiferente ao ouvir as notícias no país e no mundo, há uma espécie de epidemia de desgraças e de desconsolo.

E as guerras? E os povos sem eira nem beira andando em fila à espera de quem os ajude? Quem as fomenta e lucra com isso? São os países que os acolhem? É brutal toda esta hipocrisia.

Numa época em que é possível reconstituir o dia de qualquer um, com os registos dos pagamentos por multibanco, portagens e telemóveis, estes assuntos graves não são aclarados, porque o dinheiro tomou conta de tudo, é uma religião fanática.

E o trabalho? Não pode continuar a ser desmerecido, é um direito e um dever de qualquer ser humano ser útil socialmente e ser pago por isso. Um bordado de Viana do Castelo, os tapetes de Arraiolos e tantos outros emblemas da nossa cultura não podem ser comparados com outros semelhantes, executados à pressa, em máquinas. O parecido não é igual. Isto não é ser competitivo, é nivelar por baixo.

Pois eu - e creio que muitos de nós - não me conformo.

Não podemos assumir que a normalidade agora – conceito moderno – é assim. E ouvir falar de casos bem sucedidos - como se mostrassem um campo pulverizado com insecticidas onde sobreviveu um caracol - com tanta competição, leva-nos a viver numa sociedade doente, implacável, esquecendo a generosidade e a dignidade.

Quem é que pode dizer-se feliz se, à sua volta, houver tanta precaridade com falta de esperança e alegria?

O amor – nas várias vertentes construtivas - tem de continuar a ser o nosso fio de prumo.

Acabou o intervalo. Passemos ao Acto.

 

2 comentários

Comentar post

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D